Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Erosão no litoral português

por Mäyjo, em 16.03.13

A história já é antiga e repete-se todos os anos:

 

«Todos os anos é a mesma coisa. Lá vêm nos telejornais as imagens das ondas a varrer o paredão de Espinho, arrastando o que quer que ali esteja, de carros a pedregulhos. Lá vêm as notícias da arriba algarvia que está «mesmo a cair», pondo em risco uma ou duas moradias.
E também são já costumeiros os trabalhos dos homens e máquinas, a repor calçadas e enrocamentos, e os anúncios salvadores que prometem milhões para pôr fim à «doença» da erosão costeira. (...)
E o problema é muito agravado quando o fluxo sedimentar começa a ser interceptado pelas autênticas «barragens» que são os esporões. Estas e outras obras pesadas de protecção costeira, que vêm em defesa de habitações que não deviam lá estar, são, segundo, Alveirinho Dias — professor na Universidade do Algarve e especialista em geologia costeira — «bastante eficazes na proteção de construções a curto prazo, mas extremamente agressivas para o troço costeiro intervencionado». Transversais ao fluxo, os esporões intersectam os sedimentos que se deslocam — tomando por exemplo a corrente dominante na costa oeste — para sul, criando acumulações de areia a norte. Do lado sul, a falta de areia traduz-se num desgaste acelerado da linha de costa. A erosão acelerada a sul dos esporões obriga à construção de novos esporões.»

Adaptado de: Fórum Ambiente, Janeiro de 1999

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:15

A destruição do litoral

por Mäyjo, em 06.03.13
A destruição dos habitats dunares com extracção de areias e a prática indiscriminada de alguns desportos (passeias a cavalo, «safaris» de jeep e de matos) constituem outra forma de agressão das áreas litorais.
A degradação das águas litorais, muito frequente nos estuários dos rios, deve-se também à poluição por substâncias de origem industrial e por resíduos agrícolas e/ou pecuários.

Quer na costa de Espinho, quer na costa algarvia, por exemplo, subsiste a ameaça da erosão costeira.

Foto: A destruição dos habitats dunares com extracção de areias e a prática indiscriminada de alguns desportos (passeias a cavalo, «safaris» de jeep e de matos) constituem outra forma de agressão das áreas litorais.A degradação das águas litorais, muito frequente nos estuários dos rios, deve-se também à poluição por substâncias de origem industrial e por resíduos agrícolas e/ou pecuários.Quer na costa de Espinho, quer na costa algarvia, por exemplo, subsiste a ameaça da erosão costeira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:14


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D